Posts Tagged ‘punk’

Música do Dia: Papai Noel Velho Batuta – Garotos Podres

Papai Noel velho batuta
Rejeita os miseráveis
Eu quero matá-lo
Aquele porco capitalista

Presenteia os ricos
E cospe nos pobres
Presenteia os ricos
E cospe nos pobres

Pobres, pobres

Mas nós vamos sequestrá-lo
E vamos matá-lo

Por quê?

Aqui não existe natal
Aqui não existe natal
Aqui não existe natal
Aqui não existe natal

Por quê?

Papai Noel velho batuta
Rejeita os miseráveis
Eu quero matá-lo
Aquele porco capitalista

Presenteia os ricos
E cospe nos pobres
Presenteia os ricos
E cospe nos pobres

Anúncios

Música do Dia: Ramones – Poison Heart

 Ramones!!!

 

No one ever thought this one would survive
Helpless child, gonna walk a drum beat behind
I Lock you in a dream, I never let you go
I Never let you laugh or smile, not you.

Well, I just want to walk right out of this world,
Cause everybody has a poison heart
I just want to walk right out of this world,
Cause everybody has a poison heart.

Making friends with a homeless torn up man
He just kind of smiles, it really shakes me up.
There´s danger on every corner but I´m okay
Walking down the street trying to forget yesterday.

Well, I just want to walk right out of this world,
Cause everybody has a poison heart.
I just want to walk right out of this world,
Cause everybody has a poison heart,
a poison heart, a poison heart, a poison heart … yeah!

You know that life really takes its toll
And a poet´s gut reaction is to search his very soul
So much damn confusion before my eyes,
But nothing seems to phase me and this one still survives.

I just want to walk right out of this world,
Cause everybody has a poison heart.
I just want to walk right out of this world,
Cause everybody has a poison heart,
Well, I just want to walk right out of this world,
´Cause everybody has a poison heart.
a poison heart, a poison heart, a poison heart.
a poison heart, a poison heart, a poison heart.

 

 

Música do Dia: Garotos Podres – Oi, Tudo Bem?

Nesta categoria, iremos postar uma música por dia. Música que está dentro do conceito do blog e de relevância para o nosso conteúdo, que se encaixe nas categorias já criadas ou nas que pretendemos criar futuramente! Não importa a categoria que estará inclusa, com certeza serão músicas com conteúdo e que nos fazem pensar! E para começar com chave de ouro:

Garotos Podres!!!

Oi! Tudo bem?
Tudo bem…
Fora o tédio que me consome todas 24 horas por dia!
Fora a decepção de ontem, a decepção de hoje e a
desesperança crônica do amanhã!
Tenho vontade de chorar, raiva de não poder!
Quero gritar até ficar rouco, quero gritar até ficar
louco!
Isso sem contar a ânsia de vômito, reação a tal
pergunta idiota!
Fora tudo isso… tudo bem!

Malcom MacLaren – O Empresário do Punk

No dia 8 de abril deste ano, morreu aos 64 anos, vítima de um câncer, o empresário e músico inglês Malcom Maclaren.

Um dos nomes responsáveis pelo movimento punk como conhecemos hoje. Para quem não sabe, Malcom foi o idealizador e empresário de uma das bandas mais conhecidas do cenário: O Sex Pistols. Ele criou a estética do grupo e orientou suas atitudes, que marcaram o início do punk inglês nos anos 1970. Além dos punks do Sex Pistols, o empresário também trabalhou em Nova York com a banda ‘New York Dolls’.

Sex Pistols – London

Nasceu Malcom Robert Andrew McLaren no dia 22 de janeiro de 1946 em Londres. Estudou em várias escolas de arte, sendo expulso de algumas delas. Em 1971, após abandonar a faculdade, passou a desenhar roupas. Ao lado de sua namorada na época, Vivienne Westwood, fundou a loja ‘Let is Rock’, que se tornaria a lendária ‘SEX’, point consagrado do punk na Inglaterra e responsável por difundir a estética agressiva do movimento. O Sex Pistols surgiu em 1975 e explodiu entre os jovens britânicos que ansiavam por liberdade de expressão. O grupo acabou em 1978 e Malcom passou a se dedicar ao seu lado músico, lançando vários álbuns como ‘Duck Rock’(1983), ‘The Largest Movie House in Paris’ (1996) e ‘Waltz Darling’ (1989), que antecedeu o sucesso ‘Vogue’ de Madonna.

A genialidade de Malcom McLaren era estar sempre a frente de seu tempo, antevendo tendências musicais e de comportamento, sempre com faro aguçado para o novo e com uma pitada de sarcasmo.  Foi assim com o  punk, com o Hip Hop na Inglaterra e com a música eletrônica.

São muitos os adjetivos utilizados para definir o empresário: Trambiqueiro, cínico, dissimulado, provocador. Mas ele não se importava com a opinião das pessoas. Sabia manipular a mídia de acordo com os seus interesses e tudo que fazia era pensado, mesmo quando criava polêmica, tudo era comercial, inclusive a música do Sex, que era jovem, proletária e antimonárquica, mas que serviam aos seus interesses lucrativos. Amado ou odiado, sua importância para o punk não pode ser ignorada. Como ele mesmo disse em 2006: “De alguma forma, continuo cool. Tento fazer com que ideias aconteçam. Ideias que podem mudar vidas”.

Vivienne Westwood, que se tornou um dos maiores nomes do mundo fashion, lamentou a morte do ex-marido: “Quando me apaixonei pelo Malcom, achei-o lindo e ainda acho. Foi uma pessoa muito carismática, especial e talentosa. Pensar nele morto é algo muito triste. Bem e Joe (enteado e filho do casal) estavam com ele quando ele morreu”.

R.I.P. Malcom!!!

O Pós-Punk – Inovação na Década de 1980

Siouxsie e Johnny

O período pós-punk iniciou nos anos 80 e marcou a história da música. O movimento punk que surgiu na Inglaterra em meados dos anos 70, deixou muitas influências e serviu de base para muitos dos artistas que vieram depois disso. Nesse período o mundo viu surgir nomes que entrariam para a história da música e que produziriam grandes clássicos. Foi uma época de muita criatividade, onde tinha espaço para vários gêneros, do gótico ao New wave, tudo com muitas referências do punk. Os artistas desse período, além da sonoridade e das letras bem elaboradas, tinham um visual marcante e arrastavam multidões até as casas noturnas no mundo todo, como por exemplo, a famosa “BatCave”.

Dentro desse período (que foi até o fim da década de 80), cabem muitos estilos: Gótico, new wave, new romantics, darkwave entre outros. Todos aparecendo e ganhando características próprias. As ideologias desse período também se distanciavam cada vez mais da temática punk. Se por um lado os artistas do dito movimento “dark” resgatavam a introspecção e o niilismo do punk de uma forma mais romântica, o pop e o new wave vinham com uma “nova onda” alegre e colorida. Claro que seria impossível classificar um artista desse período como pertencendo a este ou àquele estilo, pois muitos deles flertaram com vários movimentos. O que nos proporcionou uma lista imensa e eterna de músicas fantásticas.

Daqui em diante, nesta categoria, você vai acompanhar muito (tudo seria ímpossível) do que aconteceu e do que apareceu no pós-punk, destacando os músicos do mundo underground.