Posts Tagged ‘bob dylan’

Música do Dia: Bob Dylan – Like a Rolling Stone

Once upon a time you dressed so fine
You threw the bums a dime in your prime, didn’t you?
People’d call, say, “Beware doll, you’re bound to fall”
You thought they were all kiddin’ you
You used to laugh about
Everybody that was hangin’ out
Now you don’t talk so loud
Now you don’t seem so proud
About having to be scrounging for your next meal.

How does it feel
How does it feel
To be without a home
Like a complete unknown
Like a rolling stone?

You’ve gone to the finest school all right, Miss Lonely
But you know you only used to get juiced in it
And nobody has ever taught you how to live on the street
And now you find out you’re gonna have to get used to it
You said you’d never compromise
With the mystery tramp, but now you realize
He’s not selling any alibis
As you stare into the vacuum of his eyes
And ask him do you want to make a deal?

How does it feel
How does it feel
To be on your own
With no direction home
Like a complete unknown
Like a rolling stone?

You never turned around to see the frowns on the jugglers and the clowns
When they all did tricks for you
You never understood that it ain’t no good
You shouldn’t let other people get your kicks for you
You used to ride on the chrome horse with your diplomat
Who carried on his shoulder a Siamese cat
Ain’t it hard when you discover that
He really wasn’t where it’s at
After he took from you everything he could steal.

How does it feel
How does it feel
To be on your own
With no direction home
Like a complete unknown
Like a rolling stone?

Princess on the steeple and all the pretty people
They’re drinkin’, thinkin’ that they got it made
Exchanging all kinds of precious gifts and things
But you’d better lift your diamond ring, you’d better pawn it babe
You used to be so amused
At Napoleon in rags and the language that he used
Go to him now, he calls you, you can’t refuse
When you ain’t got nothing, you got nothing to lose
You’re invisible now, you got no secrets to conceal.

How does it feel
How does it feel
To be on your own
With no direction home
Like a complete unknown
Like a rolling stone?

Anúncios

A Poesia do Rock And Roll

A revista BRAVO! do mês de julho está com uma reportagem muito boa homenageando os poetas do rock. Na capa, ninguém menos que Lou Reed, ex-Velvet Underground e que fez história com suas letras poéticas, sarcásticas e arrogantes. Lou participará da 8º Edição da Festa Literária de Paraty – FLIP, lançando o seu mais novo livro “Atravessar o fogo” (Editora Companhia das Letras), que reúne versos do artista e letras que transformaram o rock na arte que conhecemos. A reportagem fala também de dois outros nomes importantes do rock mundial: Bob Dylan e Steven Patrick Morrissey. Tanto Dylan quanto Morrissey, possuem letras que vão além do rock “Drogas e Sexo”, criando literatura de qualidade, influênciados por nomes literários como Charles Baudelaire, Oscar Wilde e Lord Byron.

Trecho da reportagem:

“A história da transformação da letra num item tão importante quanto a música na canção popular tem um herói insuspeitado. Nos Estados Unidos do século 20, de onde muitos gêneros foram exportados para o resto do mundo, o blues chegou a intercambiar versos entre uma composição e outra, pois o essencial era o sentimento. Seu afilhado Jazz quase sempre prescindiu das palavras e, quando as criou ou as foi buscar no cancioneiro popular, usou-as mais como outro suporte para a sonoridade geral do que como elemento em si. Coube, quem diria, ao bastardo rock trasnformar a letra numa arte independente, autônoma, digna de estudo e apreciação.”

Interlúdio

O tempo é como um sonho
E agora, por um tempo
Você é meu
Vamos nos agarrar rápido ao sonho
Que tem o gosto e as bolhas do vinho
Quem sabe (quem sabe)
Se isso é real
Ou apenas algo que nós dois sonhamos?
O que parece agora um interlúdio
Poderia ser o começo do amor
Amar você
É viver em um mundo que é estranho
Muito mais do que meu coração pode suportar
Amar você
Faz todo o mundo mudar
Amando você, eu não poderia envelhecer
Não, ninguém sabe
Quando o amor terminará
Então até lá, doce amigo
O tempo é como um sonho
E agora, por um tempo, você é meu
Vamos nos agarrar rápido ao sonho
Que tem o gosto e as bolhas do vinho
Quem sabe (quem sabe)
Se isso é real
Ou apenas algo que nós dois sonhamos?
O que agora parece um interlúdio
Poderia ser o começo do amor
O que agora parece um interlúdio
Poderia ser o começo do amor
O que agora parece um interlúdio
Poderia ser o começo do amor