Conheça Robert Johnson, O diabo do Blues

Robert Leroy Johnson foi um dos maiores músicos não só do Blues, mas que o mundo da música já ouviu falar. Ele se tornou referência no Blues e para  músicos como Muddy Waters e Eric Clapton. Robert Johnson gravou poucas músicas, em torno de 29, as quais fora gravadas entre 1936 e 1937. Muitas delas foram regravadas por artistas como Red Hot Chilli Peppers, Rolling Stones e White Stripes. O artista também ajudou a consagrar o famoso formato de 12 compassos.

Ele nasceu no Mississipi, segundo alguns em 8 de maio de 1911, mas não se tem certeza desta data, já que já foram encontradas várias datas distintas em documentos do cantor e guitarrista.

Mas Robert Johnson não é famoso só por sua genialidade musical, muitos mistérios cercaram sua vida. Uma história famosa é a de que Robert teria vendido sua alma para o  diabo na encruzilhada das rodovias 61 e 49 em Clarksdale para tocar guitarra, daí a sua habilidade. Outro mistério é a sua morte. Diz a lenda que ele bebeu um Whisky envenenado por um marido ciumento, que achava que Robert estava tendo um caso com a mulher dele. O fato ocorreu no bar  “Tree Forks” em 1938. R. Johnson se recuperou do envenenamento mas faleceu no dia 16 de agosto de pneumonia, 3 dias depois do envenenamento. Essa é uma das teorias, já que outras dizem que ele pode ter morrido de sífilis ou até assassinado, pois em seu atestado de óbito, a causa da morte não foi identificada.

Robert Johnson deixou grandes músicas para que fossem ouvidas e executadas por várias gerações, entre elas “Crossroads Blues”, “Me And The Devil Blues” e “Hellhound On My Trail”.

Robert influênciou vários cantores nas décadas seguintes de sua morte, inclusive o Blues de Chicago e o Rock dos nossos dias e continuará influenciando muitas outras gerações.

Antes de ouvir uma música de Robert Johnson é preciso levar em conta as tecnologias de gravações vigentes na época, que nem se comparam as de hoje. Com certeza o som não é digital e nem remasterizado, mas é um música que emociona, feita com os sentimentos de uma pessoa que tinha algo a nos dizer e que, dificilmente, não o fará refletir sobre o que é “Música de verdade”.

Me And The Devil Blues

 Early this mornin’
when you knocked upon my door
Early this mornin’, ooh
when you knocked upon my door
And I said, “Hello, Satan,”
I believe it’s time to go.”

Me and the Devil
was walkin’ side by side
Me and the Devil, ooh
was walkin’ side by side
And I’m goin’ to beat my woman
until I get satisfied

She say you don’t see why
that you will dog me ‘round
spoken: Now, babe, you know you ain’t doin’ me
right, don’cha
She say you don’t see why, ooh
that you will dog me ‘round
It must-a be that old evil spirit
so deep down in the ground

You may bury my body
down by the highway side
spoken: Baby, I don’t care where you bury my
body when I’m dead and gone
You may bury my body, ooh
down by the highway side
So my old evil spirit
can catch a Greyhound bus and ride

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: